GNR sinalizou em outubro mais de 44 mil idosos a viverem sozinhos ou isolados

Em outubro de 2018, a GNR tinha sinalizado 45.563 idosos a viver sozinhos ou isolados em todo o país, enquanto em outubro de 2019 esse número baixou para as 41.868 sinalizações.

A GNR sinalizou em outubro deste ano 44.484 idosos que vivem sozinhos ou isolados, ou em situação de vulnerabilidade, no âmbito da Operação Censos 2021, anunciou neste domingo esta força de segurança.

Em comunicado, a GNR diz que na edição de 2021 da "Operação Censos Sénior", levada a cabo em todo o território nacional, realizou "172 ações em sala e 3431 ações porta a porta, abrangendo um total de 19.812 idosos".

"A Guarda sinalizou 44.484 idosos que vivem sozinhos e/ou isolados, ou em situação de vulnerabilidade, em razão da sua condição física, psicológica, ou outra que possa colocar em causa a sua segurança", concluiu a GNR.

Mafalda Gomes de Almeida, major do gabinete de comunicação da GNR, considera que estes resultados mostram precisamente que os militares conseguem acompanhar praticamente todos os que precisam.

"Significa que estamos a conseguir acompanhar a maioria dos idosos que se encontram nesta situação, que estão sozinhos, isolados ou, por alguma razão de vulnerabilidade, necessitam do nosso acompanhamento mais próximo. Também passa a palavra de que este programa existe e de que, de facto, conseguimos chegar à grande maioria dos idosos que se encontram nesta situação", explicou à TSF Mafalda Gomes de Almeida.

Durante a pandemia, a GNR foi obrigada a mudar algumas formas de procurar estas pessoas e isso pode ter levado à subida dos números.

"Até mesmo com a própria pandemia houve aqui uma série de ações que nos obrigaram a alterar a nossa dinâmica de policiamento. No ano passado deixámos, por exemplo, de conseguir chegar aos idosos através dos centros de dia ou dos lares porque a pandemia não o permitia e acabámos por ir numa série de ações porta-a-porta e tivemos mais contacto com as pessoas, fruto das dinâmicas que se alteraram. Isto acabou também por trazer algumas pessoas novas por diversas razões", acrescentou a major do gabinete de comunicação da GNR.

Vila Real (5191 idosos sinalizados), Guarda (5012), Viseu (3543), Faro (3521), Beja (3411), Bragança (3343) e Portalegre (3130), Évora (2941) e Santarém (2099) são os distritos onde a GNR sinalizou mais idosos.

Nos restantes nove distritos, o número de idosos sinalizados pela GNR situa-se entre os 946 no Porto e os 1826 em Castelo Branco.

"Durante a operação, os militares realizaram uma série de ações que privilegiaram o contacto pessoal com as pessoas idosas em situação vulnerável, no sentido de sensibilizarem e alertarem este público-alvo para a adoção de comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes, nomeadamente em situações de violência, de burla e furto, bem como para a adoção de medidas preventivas de propagação da pandemia Covid-19", refere o comunicado da GNR.

Em outubro de 2018, a GNR tinha sinalizado 45.563 idosos a viver sozinhos ou isolados em todo o país, enquanto em outubro de 2019 esse número baixou para as 41.868 sinalizações.

"Desde 2011, ano em que foi realizada a primeira edição da Operação "Censos Sénior", a Guarda tem vindo a atualizar a sinalização geográfica, proporcionando assim um apoio mais próximo à nossa população idosa, o que certamente contribui, por um lado, para a criação de um clima de maior confiança e de empatia entre os idosos e os militares da GNR e, por outro, para o aumento do seu sentimento de segurança", sublinha esta força de segurança.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de