Governo garante que greve da função pública não trava negociações com sindicatos

A Frente Comum reivindica aumentos de 90 euros para todos os trabalhadores e um salário mínimo de 850 euros na administração pública

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública garante que o governo mantém toda a disponibilidade e vontade para negociar com os sindicatos que representam os trabalhadores do setor do estado. Neste dia de greve nacional promovida pela Frente Comum, Alexandra Leitão garante que, pela parte do Governo, a vontade de negociar não é afetada pelo protesto desta sexta-feira

"Convocada que está uma greve só podemos, naturalmente, respeitar e na segunda-feira lá estaremos novamente sentados para a continuação da negociação que iniciámos anteontem", sustenta

No entanto, Alexandra Leitão sublinha que "qualquer eventual avanço que possa haver é muito limitado no contexto atual de gestão orçamental em duodécimos a partir de janeiro, mas naturalmente segunda-feira falaremos com os sindicatos novamente".

A greve da função pública, marcada pela Frente Comum para esta sexta-feira, começou ao final da noite de quinta-feira.

A Frente Comum (CGTP) reivindica aumentos de 90 euros para todos os trabalhadores e um salário mínimo de 850 euros na administração pública, mas o Governo vai fazer uma atualização salarial de 0,9%.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de