Isolamento nas eleições? Partidos defendem recomendações atempadas aos eleitores

No Fórum TSF desta quinta-feira debateu-se o isolamento e o direito ao voto.

Ainda com incertezas no que respeita à forma como os cidadãos em isolamento profilático poderão votar nas eleições legislativas de 30 de janeiro, os partidos defendem que o Governo deve deixar recomendações claras aos eleitores.

Durante o Fórum TSF, o deputado do Partido Socialista (PS) Pedro Delgado Alves garante que "já não se podem fazer alterações à lei eleitoral", nem se podem "colocar gavetas ou barreiras" à hora de voto. O deputado socialista garante, no entanto, que está a ser ponderada uma recomendação aos eleitores.

Pelo Bloco de Esquerda (BE), Pedro Filipe Soares defende uma "recomendação que seja feita atempadamente" e que seja "conhecida por todo o país". Contudo, defende que "facilmente" poderia haver "uma hora do dia que fosse guardada para os cidadãos que estão em isolamento para garantir que essas pessoas vão votar num período muito específico e que quem não se quiser cruzar com elas vote no resto do dia".

É preciso "encontrar uma solução prática e que funcione", avisa o deputado António Filipe, do Partido Comunista Português. Para o partido, não é necessário "criar mais problemas do que aqueles que temos de resolver" e também refere que é importante que os eleitores saibam como se "devem comportar" durante o ato eleitoral.

Cecília Anacoreta Correia, deputada do CDS, coloca as culpas no executivo. A deputada do Partido Popular não acredita que deve ser a "sociedade civil a encontrar soluções a três semanas das eleições e acrescenta que "este debate", "apenas centrado" em questões "de simples organização e planeamento não deveria estar a acontecer". Para Cecília Correia, deviam-se estar a "discutir os temas certos" e não "os acessórios".

Também no Fórum TSF, Bebiana Cunha, do PAN, lamenta que as propostas do partido para o voto antecipado não tenham sido alvo de um "debate aprofundado" e que o partido está "de consciência tranquila". Para a deputada, poderia existir uma possibilidade de os eleitores votarem "em contexto de saúde" e acreditam que o tema do voto para cidadãos em isolamento "já deveria estar antecipado e tratado".

O pedido do parecer feito sobre as eleições legislativas antecipadas foi comunicado na quarta-feira aos jornalistas pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no final da mais recente reunião no auditório do Infarmed, em Lisboa.

LEIA AQUI TUDO SOBRE AS LEGISLATIVAS 2022

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de