Plano de desconfinamento. Leia aqui na íntegra o comunicado do Conselho de Ministros

Quatro concelhos não avançam no desconfinamento e dez entram em situação de alerta.

O Conselho de Ministros reuniu-se, esta quarta-feira, para discutir a próxima fase do desconfinamento em Portugal e definir quais os concelhos do país que avançam no exercício.

Da reunião saiu a confirmação de que, além de Braga e Lisboa não avançarem, também Odemira e Vale de Cambra ficam para trás. Estes quatro concelhos vão continuar a reger-se pelas regras do dia 1 de maio.

Há agora, também, dez concelhos em estado de alerta: Albufeira, Alcanena, Arruda dos Vinhos, Cascais, Loulé, Paredes de Coura, Santarém, Sertã, Sesimbra e Sintra.

LEIA AQUI O COMUNICADO NA ÍNTEGRA

Desta reunião saíram também novas regras. Nos concelhos que dão um passo em frente, a restauração vai passar a funcionar até à 01h00, com admissão possível até às 00h00 e a lotação de seis pessoas no interior e de 10 pessoas no exterior "mantém-se até ao final do mês".

Os eventos de natureza familiar estão limitados a uma lotação máxima de 50% do local em que ocorram.

Já o teletrabalho deixa de ser obrigatório, exceto nos quatro concelhos que não avançam e no caso de trabalhadores imunodeprimidos.

As modalidades amadoras passam a poder ter público, com lugares marcados, e numa lotação máxima de até 33%. Já os eventos culturais podem acontecer até às 00h00, em salas de espetáculo com 50% da lotação e fora das salas "com lotação a ser definida pela DGS".

Os transportes públicos devem funcionar com lotação de dois terços ou com a totalidade da lotação nos transportes que funcionem exclusivamente com lugares sentados. Já os táxis e TVDE passam a poder transportar pessoas no banco de trás sem limitações, mas o banco da frente continua a não poder ser utilizado.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de