Maioria dos trabalhadores da fábrica Mendes Gonçalves testaram negativo

Fábrica pretende retomar a atividade já esta quinta-feira, mediante autorização da DGS.

A fábrica Mendes Gonçalves, na Golegã, anunciou esta quarta-feira que 293 dos trabalhadores testados à covid-19 tiveram resultado negativo, mantendo um total de 11 infetados, na sua maioria assintomáticos ou com sintomas leves.

Em comunicado, a empresa, que na terça-feira encerrou voluntariamente as suas instalações e realizou testes à totalidade dos seus trabalhadores, afirma que aguarda ainda o resultado de 12 testes de um total de 318 realizados.

Com 348 funcionários, a empresa afirma que "estão por testar 32 que se encontram de baixa ou férias e que serão testados assim que regressarem à atividade".

"Perante os atuais resultados, e após hoje ter levado a cabo uma extensa operação de desinfeção e higienização nas suas instalações (total de 19.000 metros quadrados), a Mendes Gonçalves prevê retomar a sua atividade já amanhã [quinta-feira], dia 24 de setembro com o aval da DGS [Direção-Geral da Saúde]", afirma a nota.

A Mendes Gonçalves, dona da marca Paladin, de vinagres, molhos e temperos, é a maior empregadora do concelho da Golegã.

A empresa afirma que criou na terça-feira "Linhas Telefónicas de Apoio à Família Mendes Gonçalves para estar em contacto direto com os seus colaboradores e assim poder ajudar a dar resposta a todas as dúvidas ou questões que estes possam vir a ter".

Por outro lado, está a "acionar equipas de apoio aos colaboradores que se encontram em isolamento para entrega de medicamentos, refeições, compras variadas ou algo mais que necessitem".

A empresa sublinha que, desde março, "cumpre os mais rigorosos cuidados e regras de segurança, garantindo material de proteção individual a todos os colaboradores, medição de temperatura à entrada do local de trabalho, teletrabalho para todos os colaboradores que pudessem assegurar as suas funções neste novo registo, desfasamento de turnos, higienização dos espaços, entre muitas outras medidas".

O presidente da Câmara da Golegã, José Veiga Maltez, realçou a forma como a empresa se organizou, desde o início da pandemia, em março, e como reagiu assim que foi detetado o primeiro caso de infeção.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de