Ministra não leu relatório da Ordem dos Médicos? "É estranho e de uma enorme insensibilidade"

Miguel Guimarães lembra que o relatório aponta vários erros no lar de Reguengos de Monsaraz.

A Ordem dos Médicos acha estranho que a ministra do Trabalho e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, ainda não tenha lido o relatório surto de Covid-19 no lar de Reguengos de Monsaraz. O bastonário fala mesmo em insensibilidade.

Em declarações à TSF, Miguel Guimarães diz que o documento seria útil para o Governo perceber aquilo que falhou num surto onde morreram 18 pessoas.

"É no mínimo estranho e de uma enorme insensibilidade, a ministra não ter perdido 15 ou 20 minutos para ler a auditoria que a Ordem dos Médicos fez. Competia-lhe ler o documento", aponta.

Miguel Guimarães diz que era importante para a ministra "perceber algumas das coisas que estiveram menos bem, e atuar em conformidade". O bastonário alega ainda que Ana Mendes Godinho está a desvalorizar um documento importante.

O bastonário da Ordem dos Médicos acredita que o relatório tem factos relevantes que deviam ser lidos pela ministra que tutela os lares.

"É um relatório factual, baseado em testemunhos de várias pessoas que lá trabalharam. O documento não deixa margens para dúvidas relativamente ao incumprimento das regras impostas pela Direção-Geral da Saúde. São regras básicas como separar os doentes Covid e não-Covid", indica.

Miguel Guimarães diz que vê com o espanto as palavras da Ministra do Trabalho e Segurança Social, mas admite que "a responsabilidade é dela".

Ao início da noite, Ana Mendes Godinho enviou um esclarecimento por escrito às redações. A governante garante que não desvalorizou os surtos nos lares de idosos, e acusa o Expresso de ter escolhido um "título descontextualizado" da entrevista.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de