Mortalidade subiu 11% em Portugal. Covid-19 está mais espalhada pelo país

Aumento da mortalidade afeta sobretudo idosos com mais de 75 anos. Covid-19 está muito longe de explicar tudo.

Nos últimos seis meses, morreram mais 5.882 pessoas em Portugal do que em igual período do ano passado. A conta é do Instituto Nacional de Estatística (INE) num estudo sobre o impacto da pandemia no país, numa doença que até agora, segundo a Direção-Geral da Saúde, matou 1.855 pessoas.

Segundo o INE, quer na comparação com 2019 quer com 2018, 2020 está a registar mais mortalidade e a Covid-19, como se percebe pelos números oficiais, está longe de explicar tudo.

De março a agosto morreram mais 5.882 pessoas do que no ano passado, ou seja um aumento de 11%, e mais quase 3.757 que dois anos antes (+7%).

Na comparação com 2019 o aumento sente-se, em grande medida, em quem tem mais de 75 anos que representa 88% da mortalidade extra.

Os dados do INE também mostram que este aumento da mortalidade tem-se sentido em quase todas as semanas desde a chegada da pandemia a Portugal no início de março e não apenas nos primeiros tempos da pandemia quando o país estava em estado de emergência.

Doença mais espalhada nas últimas semanas

O INE revela ainda que, nas últimas semanas, a Covid-19 está mais espalhada pelo país - em vez de alguns surtos, os casos aparecem em cada vez mais concelhos diferentes, num menor nível de concentração.

Além disso, se no início da pandemia o novo coronavírus apareceu quase sempre a Norte, em especial na Área Metropolitana do Porto, e há poucos meses Lisboa e Vale do Tejo era de longe a região mais afetada, os números reunidos revelam que agora a doença está mais "desconcentrada", com mais focos.

Finalmente, destaque para o recrudescimento, nas últimas semanas, de novos casos na Área Metropolitana do Porto.

Em conjunto, de acordo com o INE, as duas grandes áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto representam 56% dos novos casos que têm aparecido em Portugal, apesar de existirem cada vez mais surtos noutras zonas do país.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de