Período para trocas e devoluções de prendas de Natal alargado até final de janeiro

Os comerciantes apelam aos clientes para que façam as compras de natal com antecedência, para evitar ajuntamentos nas lojas.

O período para a troca de compras de Natal vai ser alargado até ao final de janeiro. A Associação dos Centros Comerciais quer evitar aglomerações junto às lojas, e defende que seja duplicado o limite de clientes.

O presidente da associação garante que as normas têm sido seguidas, mas é preciso evitar ajuntamentos à entrada dos estabelecimentos. Em declarações à TSF, António Sampaio de Mattos lembra a aproximação das datas festivas, e prevê um aumento do número de clientes.

"É importante que a capacidade das lojas seja aumentada. No interior das lojas tudo está a funcionar bem, com o limite muito baixo, mas pode provocar aglomerações à entrada das lojas. O aumento tem de passar, pelo menos, para dez pessoas por cada cem metros", alega.

Os comerciantes lançam esta segunda-feira uma campanha de sensibilização, em que apelam aos clientes para que façam as compras de natal com antecedência, sem prejuízo do período de devolução. Para evitar a concentração de pessoas o prazo para as trocas e devoluções vai ser alargado até ao final de janeiro.

"As pessoas só vão fazer as trocas depois do natal, normalmente há um período de glande aglomeração. Com esta medida pretendemos que as pessoas possam trocar os presentes em janeiro, com muita calma", explica António Sampaio de Mattos.

A Associação dos Centros Comerciais mostra-se preocupada com as possíveis quebras na época natalícia, uma altura fundamental para o comércio.

A Confederação do Comércio de Portugal estima que as vendas sofram uma redução entre 30 a 40%.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de