Portugal com 58.131 novas infeções e 43 mortos. Internamentos diminuem

Há menos 17 internados em enfermaria e menos oito nos cuidados intensivos.

Portugal registou 58.131 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas e mais 43 mortes associadas à Covid-19, indicam os números este sábado divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

CONSULTE AQUI O ÚLTIMO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), há este sábado menos 17 pessoas internadas em enfermaria, num total de 2027, e menos oito pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos (UCI), que são agora 154.

O boletim indica também que há este sábado mais 26.160 pessoas recuperadas da doença, mas também mais 31.928 casos ativos, o que eleva o total de casos ativos para 454.821.

Nas últimas 24 horas foram colocados em vigilância mais 26.184 contactos, que são agora 452.094. Desde março de 2020 foram infetadas 2.176.256 pessoas com o SARS-CoV-2 e foram declaradas 19.539 mortes associadas à Covid-19.

Das mortes com Covid-19 nas últimas 24 horas, 18 aconteceram na zona de Lisboa e Vale do Tejo, 15 na região Norte, quatro na região Centro, duas no Alentejo, duas no Algarve e duas na Madeira.

A maior parte dos novos contágios foi diagnosticada na zona Norte, com 25.255 infeções (com um total de 814.898 casos e 5932 mortes de pessoas com Covid-19 desde o início da pandemia).

Na região de Lisboa há mais 17 165 infeções, totalizando 833.807 contágios e 8242 mortes com Covid-19 desde março de 2020, enquanto a região Centro regista mais 8716 novos casos (293.521 no total e 3438 mortes).

O SARS-CoV-2 já infetou pelo menos 1.152.740 mulheres e 1.021.301 homens em Portugal. Há ainda 2215 casos de sexo desconhecido que estão sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de forma automática.

Das pessoas com Covid-19 que morreram, 10.278 eram homens e 9261, mulheres. A Covid-19 provocou pelo menos 5,57 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de