Presidente da Câmara de Aveiro defende medidas mais restritivas

Autarca diz que tem dialogado com o Governo sobre esta matéria, adiantando que o executivo socialista "tem tomado medidas proporcionais à realidade".

O presidente da Câmara de Aveiro, Ribau Esteves (PSD/CDS), disse esta quinta-feira serem necessárias medidas mais restritivas para conter a pandemia de Covid-19, mas sublinhou que mantém confiança na forma como o Governo está a gerir a situação.

"São seguramente necessárias medidas mais restritivas, porque a curva que estamos a ter está muito lançada. Já vamos muito acima da primeira vaga", referiu Ribau Esteves, durante uma conferência de imprensa para apresentar as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2021.

O autarca diz que tem dialogado com o Governo sobre esta matéria, adiantando que o executivo socialista "tem tomado medidas proporcionais à realidade".

Ribau referiu ainda que a Covid-19 "está a crescer em Aveiro", adiantando que é o município da região com mais casos ativos, tendo registado uma média de 20 novos casos por dia na terceira semana de outubro, bem acima dos dois casos novos/dia em setembro.

O anterior máximo tinha sido registado em abril, quando o município contabilizou oito novos casos/dia. O presidente da Câmara tem sido criticado pela oposição por não divulgar os dados sobre o número de casos ativos de Covid-19 no município, mas diz que está apenas a cumprir as regras do país.

"Os presidentes de câmara não têm autorização para partilhar números. Alguns partilham, mas não estão a cumprir as regras do país e, aí, cada um assume a sua responsabilidade", afirmou.

O autarca informou ainda que o Programa de Ação de Apoio à Atividade Social e Económica da Câmara de Aveiro de 2021, que tem como objetivo ajudar os cidadãos e os agentes económicos na minimização dos efeitos nefastos da pandemia, deverá estar concluído na primeira quinzena de dezembro.

Ribau Esteves referiu ainda que os cemitérios do concelho vão estar abertos no próximo fim de semana "com regras, com chamadas de atenção, para que tudo corra bem", adiantando que a decisão foi tomada após conversações entre a autarquia, as juntas de freguesia, que têm a gestão daqueles espaços, e a delegada de saúde.

"Tenho a confiança absoluta quer na nossa delegada de saúde, quer nas juntas de freguesia e nos cidadãos que vão cumprir as regras para que a ida ao cemitério no fim de semana não seja um elemento de contágio", afirmou.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 44,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2428 pessoas dos 132 616 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de