Quatro investigadores portugueses recebem 8 milhões em bolsas europeias

Valor foi atribuído pelo Conselho Europeu de Investigação.

Quatro investigadores portugueses receberam oito milhões de euros em bolsas europeias. O valor foi atribuído pelo Conselho Europeu de Investigação, que no total distribuiu cerca de 600 milhões de euros, por investigadores de 37 nacionalidades.

Em Portugal foram premiados um investigador da Fundação Champalimaud, outro da Universidade do Porto e dois da Universidade de Aveiro. Um dos responsáveis pelo projeto distinguido na Universidade de Aveiro é Luís Mafra, de 41 anos. É investigador principal em espetroscopia e ressonância e, neste protejo, explica o uso de novos materiais, capazes de mitigar os efeitos das emissões de dióxido de carbono.

"São sólidos, esponjas, materiais nanoporosos, que têm poros à escala nano, e conseguem ser transformados de forma a captarem seletivamente o dióxido de carbono e uma complexa mistura de gases", explicou à TSF Luís Mafra.

Nuno Silva, investigador do Instituto de Materiais de Aveiro, também recebeu uma bolsa de dois milhões de euros. Dedica-se ao mapeamento da temperatura a três dimensões.

"À distância e em profundidade, onde não conseguimos ver diretamente. Estamos a falar, por exemplo, de ver a temperatura em tumores, durante o aquecimento, procedimentos cirúrgicos e saber, em três dimensões, qual a temperatura", acrescentou Nuno Silva.

A jornalista Rute Fonseca conversou com os dois investigadores, Luís Mafra e Nuno Silva

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de