Quebra recorde. Registos de matrículas de veículos na UE caíram 20,6% em abril

Portugal registou uma queda de -16,1%. Diminuição nos registos deve-se a problemas nas cadeias de abastecimento que continuam a afetar o setor da produção automóvel.

Os registos de matrículas de veículos novos na União Europeia caíram 20,6% em abril devido a problemas nas cadeias de abastecimento que continuam a afetar o setor da produção automóvel, disse esta quarta-feira a Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA).

Excetuando os valores verificados 2020, ano marcado pelos efeitos imediatos da crise sanitária, este foi o resultado mais fraco (respeitante ao mês de abril) em termos de vendas desde que se iniciaram os registos.

De acordo com o portal da ACEA, os resultados negativos ocorreram em vários mercados da Europa: Itália caiu 33%; França registou uma queda de 22,6%, Alemanha (-21,5%), Portugal (-16,1%) e no caso de Espanha houve uma queda de 12,1%.

De janeiro a abril de 2022 os registos de matrículas de automóveis diminuíram 14,4% em toda a União Europeia, com um total de 2.930.366 unidades.

A descida registada nas vendas de automóveis em março e abril afetou ainda mais os resultados acumulados.

Entre os principais mercados da União Europeia, Itália registou até ao momento o maior recuo (26,5%), seguida da França (18,6%), Espanha (11,8%) e Alemanha 9%).

A ACEA representa os 15 principais fabricantes europeus de automóveis, furgões, camionetas e autocarros: Grupo BMW, a CNH Industrial, DAF, Daimler, Ferrari, Ford Europa, Honda Motor Europa, Hyunday Motor Europa, Jaguar Land Rover, Grupo Renault, Stellantis, Toyota Europa, Grupo Volkswagen, Volvo Cars e Grupo Volvo.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de