"Tempestade perfeita." Antrop alerta que aumento dos combustíveis levará a fecho de empresas

É preciso avançar com mais medidas de apoio ou algumas empresas de transporte de passageiros não resistirão ao aumento do preço dos combustíveis, avisam as transportadoras.

A Associação Nacional de Transportes de Passageiros (Antrop) está preocupada com o aumento do preço dos combustíveis e fala numa "tempestade perfeita" para atingir o transporte rodoviário de passageiros.

Em declarações à TSF, o presidente da Antrop, Luís Cabaço Martins, antevê problemas nos serviços e alerta que há transportadoras que acabarão por fechar.

"Não temos a menor dúvida: vamos ter perturbações no serviço prestado e algumas [empresas] terão mesmo de fechar", avisa Cabaço Martins.

"Nós vivemos uma situação muito difícil e estamos a ter pressões por todos os lados. Estamos na chamada "tempestade perfeita" em que cerca de 70% a 80% dos nossos custos operacionais estão a subir muitíssimo e, portanto, nós não temos capacidade de aguentar por muito mais tempo esta situação", acrescenta. "Haverá, com certeza, problemas e ruturas no serviço prestado, e é isso que nós não queremos."

A Antrop calcula que o aumento do preço dos combustíveis representará, este ano, um custo acrescido de 50 milhões de euros para as empresas de transportes.

Cabaço Martins considera que as medidas anunciadas pelo Governo, na última semana, ajudam a "mitigar o encargo passado deste aumento dos combustíveis", em cerca de 20%, mas "não resolvem nenhum problema".

"Estamos a ser ignorados nesta perspetiva estrutural", lamenta Luís Cabaço Martins. "Esta é uma ajuda que o Governo deu transversalmente, e, portanto, nós entendemos isso como uma medida intermédia, agora é fundamental continuar a trabalhar com a Antrop, no sentido de encontrar soluções estratégicas que levem a que o transporte público seja definitivamente sustentável e consiga dar a resposta que os portugueses precisam em termos de mobilidade", defende.

A associação espera reunir-se, ainda esta semana, com o secretário de Estado da Mobilidade. A Antrop defende o alargamento do gasóleo profissional ao serviço público de transporte de passageiros, a isenção da taxa de carbono e mudanças na Taxa de Atualização Tarifária (TAT).

O Governo anunciou, na última semana, um pacote de medidas extraordinárias para aplicar até março de 2022, que inclui transferências para compensar as empresas do aumento do preço dos combustíveis e a devolução às famílias, através da plataforma IVAucher, a devolução de 10 cêntimos por litro - até 50 litros por mês - de combustível consumido.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de