Tribunal coloca alegado homicida de Bruno Candé em prisão preventiva

Bruno Candé foi baleado em várias zonas do corpo.

O alegado homicida do ator Bruno Candé fica em prisão preventiva, a medida de coação mais pesada. A decisão do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa Norte é justificada pelo perigo de fuga.

De acordo com o jornal Público, que cita o comunicado do tribunal, a sentença foi dada "em razão da natureza e das circunstâncias verificadas, de perturbação grave da ordem e tranquilidades públicas". Em causa está o crime de homicídio e posse de arma proibida.

Segundo fonte judicial, ouvida pela agência Lusa, o homem foi presente a juiz esta manhã no Tribunal de Loures, no distrito de Lisboa, tendo-se "remetido ao silêncio".

Bruno Candé Marques morreu no sábado após ter sido "baleado em várias zonas do corpo" por outro homem, com "cerca de 80 anos", na avenida de Moscavide, em Loures, referiu a PSP.

Em declarações à agência Lusa, fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP adiantou que o óbito foi declarado no local e que o homem responsável pelos disparos foi detido, tendo-lhe sido apreendida uma arma de fogo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de