Uma escola aberta à cidade

A reitora do ISCTE-IUL explicou na Tarde TSF, porque é importante o novo centro de investigação que está a nascer.

O Centro de Valorização e Transferência de Conhecimento é a tentativa de conciliar diferentes áreas do conhecimento que vai sendo produzido nas diversas escolas do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa.

Mas na conversa da reitora Maria de Lurdes Rodrigues, na Tarde TSF, percebe-se que o ISCTE quer aproveitar a instalação deste centro para fazer uma mudança importante na forma como a escola se relaciona com a cidade.

Em vez de continuar virado para dentro do campus da Universidade de Lisboa, o ISCTE vai ter uma frente aberta para uma das avenidas.

O ISCTE - Conhecimento e Inovação, junta as várias áreas de investigação da escola, nas ciências sociais, e cruza-as com as áreas mais tecnológicas.

A reitora lembra o caso da aplicação de rastreio criada para a pandemia, e que acabou ineficaz, precisamente porque quem a desenvolveu não tinha esse cruzamento de competências nas áreas jurídica e médica, por exemplo.

Na conversa na Tarde TSF, a reitora do ISCTE -IUL explicou como está a escola a preparar o regresso dos alunos, na fase derradeira do desconfinamento da educação, que só deverá acontecer na totalidade, a partir de maio, com os exames, que serão todos presenciais.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de