Utentes da Chamusca não conseguem marcar consultas nem pedir receitas por falta de médicos

A vereadora da CDU na Câmara da Chamusca, Gisela Matias, denuncia um problema que tem vindo a arrastar-se.

Por causa da falta de médicos no concelho da Chamusca, os utentes não conseguem marcar consultas e pedir receitas médicas. O problema agravou-se com o início da vacinação contra a Covid-19 em março, sobretudo na freguesia de Ulme que está sem médico há cerca de um mês.

A vereadora da CDU na Câmara da Chamusca, Gisela Matias, denuncia um problema que tem vindo a arrastar-se.

"Nós temos uma população envelhecida, temos um concelho muito extenso, com 756 quilómetros quadrados, pessoas com dificuldade de deslocação e, neste momento, sabendo que na Unidade de Saúde Familiar na Chamusca que faz o apoio a cinco freguesias temos menos dois médicos, - porque um está de férias e porque o outro terminou o contrato- , e sabendo que tendo o centro de vacinação aberto temos que ter sempre um médico afeto ao centro de vacinação, é impossível haver resposta para todas as necessidades dos cuidados primários, a obtenção de receituários, vagas para consultas e não há um acompanhamento eficiente das doenças crónicas", sustenta.

A autarquia sublinha que há concurso aberto para contratar médicos, mas não tem havido interessados. Gisela Matias, que é também candidata da CDU à Câmara da Chamusca, não aceita a resposta e pede ao presidente da câmara que faça mais pressão: "Primeiro que tudo, eu acho que tem de haver pressão por parte do município, que é a entidade maior na proteção das suas pessoas, relativamente a este assunto."

No mesmo plano, Gisela Matias recorda que "já houve quem desse a solução de trazer para cá um médico, pagar-se uma casa", acrescentando que tal procedimento não seria inédito no concelho.

Esta terça-feira, há reunião de câmara na Chamusca. A vereadora da CDU pretende pedir mais esclarecimentos ao autarca.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de