Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

Viúva é suspeita de mandar matar o marido

Ana Cláudia organizou manifestações em nome de Toni e deu entrevistas a pedir justiça. No entanto, foi acusada pelo autor dos disparos de ter pago cerca de 10 mil euros pelo crime

Em agosto de 2020, o empresário Toni Flor, 37 anos, chegou às 7h40 da manhã ao ginásio, num bairro da capital do Mato Grosso, Cuiabá, para realizar os habituais exercícios matinais.

À sua espera, um homem numa moto. Após breve troca de palavras, Toni levou cinco tiros e foi levado de urgência para o hospital por um personal trainer do ginásio. O agressor fugiu.

Dias depois, Toni morreu no hospital para desespero da sua mulher, Ana Cláudia. O casal tinha três filhas.

Segundo Ana Cláudia, o marido teria sido confundido com um agente da polícia que também usa aquele ginásio e tem um carro semelhante.

Por um ano, Ana Cláudia distribuiu t-shirts com o rosto do marido, organizou manifestações na cidade pedindo justiça, deu entrevistas na televisão, aproximou-se da sogra e da cunhada no luto.

E, por um ano, a polícia investigou o caso. Logo nos primeiros dias, os detetives concluíram que a tese do homicídio por engano não fazia sentido e passaram a seguir uma pista, anónima, recebida num rápido telefonema na delegacia de polícia: "Igor Espinosa".

Encontrado e interrogado, Espinosa confessou que matara Toni em troca de 60 mil reais, cerca de 10 mil euros, divididos entre ele e dois intermediários, todos pagos por... Ana Cláudia. Uma videochamada entre os quatro prova a ligação.

Polícia e Ministério Público não têm dúvidas sobre a culpa dela mas o advogado de defesa acredita que vai rebater as acusações, uma por uma.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de