TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Migas retemperadoras na Nacional 2

A terceira estrada mais extensa do mundo é portuguesa; tem 738,5 m de extensão e liga Chaves a Faro.

Tem apenas 180 quilómetros com o estatuto de Estrada Nacional; a maior extensão é classificada como Regional, mas entre Almodôvar e S. Brás de Alportel é Estrada Património.

A redescoberta das belezas e da diversidade de um país demasiado inclinado para uma estreita faixa litoral, deve-se em grande parte a esta rodovia concebida em 1945 para rasgar Portugal ao meio. De norte a sul.

O concelho alentejano de Montemor-o-Novo é um dos 33 atravessados em apreciável extensão pela Nacional 2.

Na simpática aldeia de Fazendas do Cortiço, ao km 514, junto à estrada, há um local de boa mesa para fazer pausa na viagem ou na labuta diária.

Oferece vasto espaço para estacionamento e tem uma esplanada resguardada dos maus humores atmosféricos.

O restaurante O CORTIÇO, casa também muito apreciada pela componente petisqueira que oferece, destaca-se pela simplicidade do espaço, dividido por duas salas. Nota para a ementa, afixada na parede.

Saltam à vista a predominância das sugestões de carne, que emparceiram com os pratos mais tradicionais do receituário transtagano.

Destaque para a açorda e a tão apreciada sopa de cação.

Neste capítulo, minoritário em termos de opções face aos pratos de carne, mais substanciais, destacam-se o bacalhau à casa; chocos grelhados ou fritos; e os arrozes: de marisco ou de tamboril.

Algumas sugestões expressas na lista exigem menor apuro culinário e maior rigor na grelha, nomeadamente, febras, entrecosto, entremeada, picanha e lombinhos de porco, figurando o bife de novilho e os miminhos à Cortiço como alternativas relevantes.

No mesmo capítulo de preferências situam-se as costeletas de borrego e as espetadas de lombinhos com gambas.

A opção recaiu na carne de porco alentejano: entre secretos e abanicos, escolhemos estes últimos, com acompanhamento de migas de espargos.

As migas são consideradas, muito justamente, uma especialidade da casa. Para além de espargos, há migas de coentros e de bolota, o que é pouco comum face ao desuso deste fruto na alimentação.

A escolha foi acertada: a carne de grande qualidade estava no ponto certo, tenra e plena de sabor; as migas revelaram grande nível em termos de confeção: apresentaram-se bem ligadas, sem gordura excessiva, muito saborosas.

As sobremesas honram a tradição conventual alentejana e a garrafeira apresenta vasto número de referências regionais de bom nível.

Serviço marcado pela simpatia e eficácia no CORTIÇO.

Uma casa com cozinha competente e alma alentejana, a uma légua de Montemor-o-Novo, seguindo pela mítica Nacional 2.

Onde fica?

Localização: Foros do Cortiço (Montemor-o-Novo)

Contacto: 962 771 945

GPS: 38.57153000 N ; -8.36730800 W

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de