Um ano de conquistas. Em 2018 fomos a Marte e até enviamos um carro para o Espaço

2018 foi histórico para a exploração espacial. Recorde alguns dos melhores acontecimentos do ano.

O ano que agora termina pôs o mundo a olhar para as estrelas. Bateram-se recordes, fez-se história, ​​​​​mas também coisas insólitas.

Em novembro, a sonda InSight, da NASA, aterrou com sucesso na superfície de Marte depois de uma viagem de seis meses e meio e minutos depois já estava a enviar a sua primeira fotografia do planeta vermelho, ainda antes de retirar a proteção da sua lente:

No dia 19 de dezembro instalou com sucesso um sismógrafo. Foi o primeiro instrumento científico a ser colocado diretamente na superfície de Marte e o início de uma nova era no estudo do planeta vermelho.

A missão InSight, que tem uma duração de dois anos, pretende dar pistas sobre a evolução da formação dos planetas rochosos do Sistema Solar, incluindo a Terra, ao estudar o tamanho, a espessura e a densidade do núcleo, manto e crosta de Marte e a temperatura interior do planeta.

A sonda Parker da NASA conseguiu a maior aproximação ao Sol de sempre, batendo um recorde de 1976. No dia 6 de novembro, a Parker esteve a 24 milhões de quilómetros da superfície solar, duas vezes mais próximo do que chegou a sonda Helios 2.

Este mês a sonda enviou a primeira fotografia captada dentro da atmosfera do Sol, junto à coroa solar, a camada mais externa da atmosfera da estrela.

Na sua órbita final, antes de colapsar, a sonda vai viajar a 696 mil quilómetros por hora, o que a tornará no objeto feito por humanos mais rápido de sempre.

Enquanto os aparelhos não tripulados foram bem-sucedidos, o lançamento do Soyuz com a equipa que iria render a tribulação da ISS correu mal.

O astronauta norte-americano Nick Hague, da NASA, e o russo Alexey Ovchinin da Roscosmos, foram obrigados a fazer uma aterragem de emergência depois de uma avaria no foguetão .

Sãos e salvos, os dois tripulantes foram resgatados no local onde a Soyuz acabou por aterrar, na cidade de Zhezkazgan, no Cazaquistão. Na origem do acidente, soube-se depois, esteve um sensor danificado durante a montagem.

Quem também fez notícia este ano foi a SpaceX ao deixar um carro da Tesla no Espaço . Entrou no Espaço ao som de David Bowie, com um condutor inanimado ao volante, que ficou conhecido por "starmen", vestido com um fato espacial e a mensagem "Don't Panic!" ("não entres em pânico!") no painel de instrumentos.

O descapotável vermelho falhou a trajetória que pretendia: entrar na órbita de Marte, e dirige-se agora ao cinto de asteroides entre Marte e Júpiter. No fundo, vai acabar por se transformar em lixo espacial.

A cómica aventura do Tesla Roadster fez parte da primeira viagem de teste do Falcon Heavy, um conjunto de três foguetões Falcon 9.

A Space X tentou pela primeira vez recuperar três foguetões em simultâneo. Duas aeronaves regressaram à Terra cerca de dois minutos e meio depois de terem partido, mas a terceira, que deixou o carro no espaço e deveria ter aterrado no navio drone, falhou o alvo.

O lançamento do "caçador de planetas" TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite), em abril, foi outro ponto alto do ano. Substituiu o Kepler, desativado etste ano, à procura de novos planetas nas estrelas mais perto da nossa galáxia.

Já a sonda Voyager 2 saiu do nosso sistema solar e mergulhou no espaço interestelar, levando a bordo informação sobre a vida na Terra e saudações em 55 línguas, incluindo o português. Está agora a mais de 17 mil milhões do planeta Terra.

Também este ano foi confirmada a presença de água gelada na superfície da Lua , nos polos norte e sul, em crateras onde os raios de sol não chegam e a temperatura nunca ultrapassa 150 graus Celsius negativos.

Em Marte, há pela primeira vez provas de que existe água líquida . Foi descoberto um lago de água líquida localizado no polo sul sob uma camada de gelo.

Outros mistérios ficaram por descobrir. Uma equipa de investigadores de Harvard admite que o primeiro primeiro corpo celeste proveniente de outro sistema solar a entrar no nosso Sistema Solar possa tratar-se de uma construção artificial.

O Oumuamua não é um asteroide e pode também não ser um cometa . "Pode ser uma sonda completamente operacional enviada intencionalmente para a Terra por uma civilização alienígena vizinha", admite um novo estudo.

O magnata da Virgin Galactic Richard Branson marcou o arranque do turismo espacial ao chegar aos espaço pela primeira vez com um teste bem-sucedido e o bilionário japonês Yusaku Maezawa, de 42 anos, foi o primeiro a comprar um bilhete para a Lua a bordo de um dos foguetões da Space X.

Um ano em cheio para os entusiastas da exploração espacial, meio século depois de, a 24 de dezembro de 1968, o astronauta Bill Anders da missão Apollo 8 ter tirado o mais famoso retrato da Terra.

LER MAIS:

Três missões espaciais prometem fazer História nos próximos dias

O Universo nunca esteve tão perto. As melhores imagens do Espaço de 2018

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de