Frontex investigada por deixar quase mil migrantes à deriva no mar

Frontex investigada por deixar quase mil migrantes à deriva no mar

A Frontex está a ser investigada por cumplicidade com as autoridades gregas por ter fechado os olhos a práticas que violam a lei internacional. Uma investigação de um grupo de jornalistas de quatro meios de comunicação internacionais concluiu que, nos relatórios dos incidentes que constam da base de dados da agência europeia, a Frontex registou como simples operações preventivas casos em que migrantes foram rejeitados pelas autoridades gregas e deixados à deriva no mar.

"É pura ilusão pensar que construir muros resolve o problema do movimento dos migrantes"

"É pura ilusão pensar que construir muros resolve o problema do movimento dos migrantes"

Pelas linhas das mãos passam-lhe os dramas de milhares de migrantes. E não há luvas que amaciem as vidas que se perdem. Jurista e sócio fundador de uma das mais importantes sociedades de advogados portuguesas, antigo juiz do Tribunal Constitucional, militante socialista, ex-ministro da Presidência e da Defesa num dos governos de António Guterres, António Vitorino foi ainda comissário europeu com as pastas da Justiça e dos Assuntos Internos e é agora diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM).